Hotel de luxo nas Bahamas com diárias de até R$ 100 mil recebe torneio de poker

PCA – Hotel de luxo nas Bahamas com diárias de até R$ 100 mil

Neil Stodart

Hotel nas Bahamas é um dos mais procurados por turistas no mundo
Hotel nas Bahamas é um dos mais procurados por turistas no mundo

São mais de 570 mil metros quadrados ocupando quase um terço da Paradise Island em New Providence nas Bahamas. Um hotel luxuoso aberto oficialmente em 1998. Com um casino que atrai milhares de pessoas todos os dias e com atrações extremamente magnificas, como nadar com golfinhos, mergulhar perto de tubarões e aproveitar o mar esmeralda das Bahamas.

Neil Stodart

Hotel é um dos mais luxuosos do mundo
Hotel é um dos mais luxuosos do mundo

O complexo tem seis torres de apartamentos nenhuma menos luxuosa do que a outra. Com preços variáveis, mas que podem chegar a US$ 25 mil (cerca de R$100 mil) por noite se você se hospedar na The Bridge Suite que liga as duas partes da Royal Tower, a maior torre de apartamentos do Atlantis. Dentro do hotel ainda existe um parque aquático com tobogãs de 90 graus que ficam lotados o dia inteiro. O lobby do hotel tem um aquário gigantesco com diversas variedades de peixes incluindo arraias e tubarões.

Com tudo isso parece difícil se concentrar em jogar poker certo? Errado! Os jogadores parecem nem ligar para tudo isso. Saem direto dos quartos para a sala de torneios. Muitos viajam com as famílias, que essas sim aproveitam as maravilhas do Atlantis. Mas para os jogadores só o prêmio interessa. No PCA de 2016 serão mais de 100 eventos em 11 dias de torneios, sendo os principais: o evento principal, o high roller, o super high roller, o LAPT (Latin American Poker Tour).

Neil Stodart

Hotel recebe mais um torneio nas Bahamas
Hotel recebe mais um torneio nas Bahamas

O ano de 2016 começa com o poker em alta e os brasileiros vieram em peso dessa vez. Impossível imaginar esse número expressivo de jogadores há 5 anos. O crescimento exponencial do poker no Brasil fica muito evidente com os mais de 150 brasileiros nas Bahamas. Gente de todos os lados do país. Quase parece junho e julho na WSOP (World Series of Poker), época onde se vê a grande quantidade de jogadores nacionais em mesas estrangeiras.

“Antigamente era fácil olhar os brasileiros, saber onde eles estavam e quem eles eram. Hoje você precisa olhar bem e buscar na memória quem é tal jogador, pois não só os mais famosos viajam para jogar o circuito”, conta Sérgio Prado, que cobre o PCA já há nove anos.

De hoje até dia 14 serão 100 eventos, muito dólares em prêmios em um ano que promete ser marcado por vários avanços no poker do Brasil.

Fonte: ESPN.com.br