Lá vem ele, Michael Phelps o “Shark” das piscinas agora nas mesas de poker

Michael Phelps encerrou sua carreira como o maior atleta da história dos Jogos Olímpicos, com 28 medalhas, sendo 23 de ouro, 3 pratas e 2 bronzes . E uma de suas principais características é o espírito competitivo extremo, a vontade de sempre superar limites.

Essa semana Phelps participou de um torneio de poker beneficente na casa do craque Ronaldo no Rio de Janeiro. Ele ficou na segunda colocação, perdendo apenas para o poker player americano Jeff Gross, que é um dos maiores amigos de Michael Phelps.

André Akkari também estava presente no torneio beneficente e perguntou para Jeff Gross se Phelps gostava de poker. “Ele é mais apaixonado pelo jogo que eu e você juntos”, foi a resposta imediata ele. “Ele tem muito talento e dedicação, estuda o poker sempre que pode e tem tudo para ser um dos melhores jogadores do mundo”.

Na sua primeira aposentadoria em 2012, Phelps teve algumas aulas com Antonio Esfandiari, logo após o profissional conquistar US$ 18 milhões no The Big One for One Drop. No mesmo ano, ele viajou até Montreal para acompanhar o seu amigo Jeff Gross na decisão do WPT- World Poker Tour.

E em 2013, Phelps jogou o evento principal do PCA, torneio que marcou a abertura da temporada, nas Bahamas, e que conta só com os melhores jogadores do mundo. Phelps também participou da WSOP, porém, acabou não indo longe em nenhum dos dois eventos, mas atraiu os holofotes para o jogo, o que é sempre bom e mostrou que se sente a vontade nas mesas.

michael                                          (Michael Phelps ao lado de Vanessa Selbst no WSOP 2013)

Assim como Phelps temos muitos os exemplos de jogadores de outros esportes que mesmo sem se profissionalizar, são vistos nos eventos de poker no mundo afora. Ronaldo, Neymar e Cristiano Ronaldo são embaixadores do PokerStars. Fernando Scherer, colega de Phelps, Gustavo Kuerten, Moisés jogador do palmeiras, Maurren Maggi, Ph Ganso, Petkovic, são só alguns de vários grandes nomes de outros esportes que se interessam e participam dos grandes torneios do esporte da mente.

Aos 31 anos, Phelps não terá problemas com a disciplina do jogo, de como lidar com toda pressão que o jogo envolve na hora da bolha da premiação ou passar um blefe, não será um problema para ele, até porque para quem tem 28 medalhas olímpicas no peito sendo 23 de ouro, ele está preparado e promete dar muito trabalho nos próximos anos.

Se levarmos o termo do poker fish e shark perto deste mito, não teremos disputa, vai colecionar bracelete já que o pescoço não aguenta mais medalhas.

Iremos escutar muito os dealers falarem: “Phelps is all-in!”

B Conteúdo – Fichas Brasil