Entrevista com o pró: Convidado de hoje é Henrique Onodera; Confira.

Boa noite galera, estamos aqui com mais um quadro entrevista com o Pró e hoje o convidado é Henrique Ikuo Onodera, 33 anos, morador de São Paulo, Bairro Aclimação.

henrique

Matheus Mion- Onodera, boa tarde antes de mais nada. Como você conheceu o poker? e quando escolheu ser um profissional de poker?

Onodera- Cara, conheci o poker como quase todo mundo, jogando entre amigos em home games e tal. Mas jogo em clube, conheci mesmo em 2005, quando o poker ainda nem era legalizado.
Decidi me profissionalizar no ano seguinte, quando descobri o Poker Online na plataforma do PartyPoker, em seguida o PokerStars foi lançado no Brasil (2006) e então eu migrei pra lá.

Matheus Mion- Antes do poker, qual sua profissão? Você é graduado? Porque escolheu largar esta área?

Onodera- Antes de ser jogador de poker, eu fui gerente de academia e trabalhei um bom tempo no financeiro de uma empresa. Sou formado em Gestão Empreendedora.
Eu decidi largar tudo isso, porquê me apaixonei pelo Poker. Na verdade, sempre fui competitivo. Lutei judô dos 4 aos 20 anos, competi por mais de 10 anos e por uma contusão me vi obrigado a largar o esporte e a tão sonhada Olimpíadas. Quando descobri os torneios de poker, aquela emoção de competir e ser campeão voltou ao meu sangue, e, desde então, não quis largar mais.

Matheus Mion- Qual a principal dica pra galera que ta começando? Escolas Online ou coachings particulares?

Onodera- Minha dica é… praticar muito. Joguem muuuuitos Sit and Go, aprendam a vencer em “fields” menores para depois migrarem para os torneios. Não importa se o valor do sit que você vai jogar é de 0,50 cents, o que importa é o volume que você vai jogar. Quanto mais experiência, melhor! Você terá visto uma mesma jogada centenas ou milhares de vezes e já saberá qual a melhor decisão a ser tomada.

O melhor jeito para estudar é através de Coaching. Além de ser o melhor é também o jeito mais rápido de aprendizagem. A pessoa que estará te dando o coaching já terá passado por todas as situações que você estará passando naquele momento, dito isso, ele te guiará da melhor forma para o próximo passo de sua jornada.

Matheus Mion- Qual foi o seu melhor momento? e quando foi o seu pior momento dentro do esporte?

Onodera- Vou começar pelo pior momento. Na verdade foi no começo, enfrentar o preconceito, principalmente na família. Eu acho que quase todos os profissionais passaram por isso. Agora ainda é difícil, mas imagina em 2006… era beeeeeem pior. Histórias de pais, avós que perderam carros, casas, fazendas etc no jogo. Era bem difícil explicar que eu estudava, praticava e trabalhava com total dedicação e controle de Bankroll (capital de giro no poker). Eu não recrimino, porque sei que minha família só tava tentando me proteger.

Acho que eu não tive um melhor momento, eu tive alguns melhores momentos. No poker online é assim… são vários bons momentos. Por exemplo, ano passado fui pro Uruguai e não consegui passar no Main Event do LAPT, mas voltei pro Hotel e cravei o Hot $44 com quase $7.000 dólares de premiação. Este ano fui pro Chile, também não fui bem no
Mais Event, mas peguei 3º no turbo $300 e 2º no “WIN THE BUTTON” com mais de $8.000 de premiação. Se eu tivesse cravado qualquer um desses Main Events, aí eu poderia falar que seria meu melhor momento. Mas calma, meu melhor momento ainda está por vir!!! Rs

Matheus Mion- Na sua opinião, qual os beneficios de jogar por um time de poker, e qual o lado ruim?

Onodera- Olha, eu acho que tem muitos benefícios. O principal deles é o Coaching. Por trás do time sempre tem um grande jogador ou grandes jogadores e estes vão te dar coaching sem cobrar nada, pois seus resultados interessam diretamente a eles. O 2º bom benefício é que você joga sem riscos, pois quem investe em você são os donos do time.
O lado ruim é que você fica preso a eles por um contrato (6 meses ou 1 ano). Mas, também, não poderia ser diferente, né?! A blindagem deles é essa, se não qualquer um entraria e sairia a hora que quisesse e sem compromisso nenhum. O 2º lado ruim é a porcentagem. Você não terá riscos, mas, quando ganhar, ficará com a menor fatia do bolo.

Matheus Mion- Você tem algum cavalo ou é sócio de algum time? Pretende estruturar um time futuramente?

Onodera- Não. Não tenho cavalos e também nunca participei de nenhum time. Mas com certeza ja pensei nisso. 2017 vai começar e nada está fora de questão no momento. Estou aberto a novas propostas, e, sim, já pensei em estruturar um time futuramente.

Matheus Mion- Saindo um pouco do assunto, você é a favor da legalização dos cassinos no brasil? se sim, é a favor que exista o poker nelas?

Onodera- Sim, sou a favor da legalização dos Cassinos, não porque eu goste, porque eu não gosto, mas acho que o Brasil perde muito ao não legalizar e fazer com que todos que gostam, viajem pra jogar em outros países.

Com certeza o Poker deveria estar neles. Mas como em Las Vegas, numa área separada de todo o resto, pois isto mostra o respeito pelo nosso esporte, como esporte da mente.

Matheus Mion – Eu sei que a rede Onodera, muito conhecida por sinal, pertence a você e sua familia, por que largar algo que é bem sucedido para algo que é incerto no poker? O que mais te motiva?

Onodera- A Onodera é sim da minha família, ja trabalhei la algum tempo, mas não era o que eu queria. Não é que eu larguei, pois também sou sócio, apenas não participo do dia a dia da empresa, mas sempre estou presente nas principais reuniões.
O que mais me motiva é a competição, jogar torneios, a complexidade do poker é infinita. Claro, a parte financeira de retorno ao fazer o que mais gosta é muito boa também!

Matheus Mion- Gostaria que você explicasse pra galera que esta começando, como funciona o seu método de coaching e como eles podem entrar em contato com você.

Onodera- Bom, no meu Coaching eu começo explicando sobre “controle de bankroll”, porque pra começar, você precisa aprender a não quebrar, portanto, saber controlar o capital de giro na variância do poker, é muito importante.
Depois eu passo por todas as outras partes importantes do poker, como posições, períodos de torneio, range das mãos em cada posição, todas as jogadas aplicáveis e quando aplica-las como: bet/fold, resteal, tribet e tribet light, check raise, floating etc.
Depois de passada toda essa parte teórica, eu começo a parte prática, ou seja, eu mostro históricos de mãos de torneios que eu ganhei, explicando mão a mão como eu fiz e por quê eu fiz esta ou aquela jogada. Se o coaching é particular, também peço alguns históricos de mãos do aluno para análise e explico o que deveria ter feito em cada situação.

Matheus Mion- Pra finalizar, deixe um recado pra galera que ta lendo nossa entrevista e ta iniciando no esporte.

Onodera- Fala galera!!! Bom, primeira coisa, se você realmente gosta do Poker, não desista. Eu sei que é difícil passar pelas down swings, tomar bad beat seguidas vezes, perder AA toda hora, mas eu te garanto que isso acontece com todo mundo. Procure um mentor, quem você mais admira no Poker? “Puts, mas o coaching desse cara é muito caro”, então vai pro próximo, procura alguém que você admira e caiba no seu orçamento, mas não deixe de estudar. Procura saber como esse cara fez pra chegar onde chegou, procura se ele tem material grátis disponível na Web, procura saber quanto custa coaching particular, em grupo ou online. Existem diversas maneiras de estudar, então não invente desculpas, VOCÊ PODE!!!
Pratique muito, esse é um outro jeito de estudar. Aprenda com os erros, preste bastante atenção. Revise seu torneio se você achar que em algum ponto você errou. Se não acha que errou, revise assim mesmo e vai descobrir coisas que nem imaginava. O emocional pode ter atrapalhado algumas jogadas, fique atento a isso.

Bom, espero que tenham gostado. Abaixo vou deixar os meios pra entrar em contato comigo, ok?!!

Grande abraço.

Facebook: @onoderapoker
Instagram: @henriqueono
Youtube: Henrique Onodera

Bom galera, maiores informações sobre o coaching do Henrique Onodera, clique aqui.

Espero que tenham gostado. Até a próxima.